fbpx
Home / Dicas / Seminovo x usado: qual a melhor opção?

Seminovo x usado: qual a melhor opção?

Se você está pensando em trocar de carro e tem pouco dinheiro, talvez tenha considerado comprar um seminovo ou usado. Mas você sabe diferença entre eles?

Essa é uma dúvida muito recorrente entre os compradores e entender a diferença pode ser decisivo no fechamento da compra.

É claro que um veículo recém-saído da concessionária seria a opção ideal, mas nem sempre é a única solução.

Carros zero km tem valor elevado, mas seu preço cai bem rápido, o que pode ser encarado como um desvantagem.

Em casos de pouco dinheiro para investir, vale a pena explorar outras opções. Por isso, continue lendo para entender a diferença entre carro usado e seminovo antes de se decidir. Confira:

Definição de seminovo

Para ser considerado seminovo, um veículo precisa ter: até três anos de uso; pertenceu a um único dono e rodar de 15 a 20 mil quilômetros por ano.

Geralmente é um carro de um perfil bem específico de consumidor. No caso, o proprietário não tem grande preocupação com quando deve trocar de carro. Ele prefere fazer a substituição de forma periódica, priorizando atualização e novas tecnologias.

É como se o carro seminovo fosse comprado com o propósito de ser a entrada para um zero futuramente.

Quem opta por um seminovo, consegue o carro em um preço bem atrativo e ajustado ao mercado. Isso porque os zero km depreciam nos dois primeiros anos e chegam a custar até ¼ menos que seu valor inicial.

Definição de usado

É fácil definir um carro usado, afinal ele já tem bastante quilômetros de experiência. Esse automóvel possui mais de três anos desde a saída da concessionária, com preço bem distante de seu valor original.

Os carros clássicos com mais de 30 anos e que mantém boa parcela de suas características de fábrica não entram nessa definição.

Entre os usados é possível encontrar de tudo. Desde carros bem conservados, até aqueles que passaram por batidas ou trocas de motoristas por mais de uma vez.

Por isso seu preço de venda é baixo e estabelecido pela Tabela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas e Estatísticas Econômicas).

Como há uma grande quantidade de carros que se enquadram nesse perfil, é importante ter atenção na hora da compra. Pode acontecer do interessado trocar seis por meia dúzia em alguns casos.

Carros usados costumam apresentar desde leves arranhões a falhas em peças. Então é importante verificar tudo antes de fechar a compra.

Mas, qual a melhor opção?

Vai muito do que você pode investir no momento, mas alguns pontos são chaves e podem ajudar na escolha.

1) Valorização

Não foque apenas na questão de revenda, caso mais para frente opte por uma nova troca, mas no veículo como um todo.

Ambos passaram pelas mãos de outras pessoas e não tem como certificar que o antigo proprietário foi zeloso.

Geralmente, o custo-benefício de um seminovo é mais interessante. Por ter menos tempo de uso, costuma apresentar menos problemas em relação a manutenção, por exemplo.

Mesmo assim, as duas opções ainda têm muitos quilômetros pela frente, então avalie bem antes de se decidir.

2) Preço

Nesse ponto ambos apresentam valores consideráveis, então é interessante ponderar alguns fatores.

Um seminovo na concessionária pode ser financiado ou pago por carta de crédito em consórcio. Com a carta é possível o pagamento à vista e até mesmo descontos.

Mas, para o carro usado, normalmente o pagamento é feito somente à vista. Se você não tiver o valor total para o carro desejado, pode não conseguir fechar a compra.

Lembre-se que os usados podem apresentar problemas e, neste ponto, o preço não deve ser o principal fator de escolha.

3) Seguro

Esse é um fator que deve ser estudado antes mesmo de efetivar a compra. A seguradora não irá avaliar somente o ano do veículo, mas entram outros pontos que influenciam no valor.

Idade e perfil do condutor, seus trajetos e até mesmo se o índice de roubos e furtos envolvendo o modelo. Alguns veículos mais visados tornam a apólice mais elevada.

Se o modelo já saiu de linha, por exemplo, a seguradora pode até recusar a oferta.

4) Manutenção

Carros mais antigos tendem a apresentar maior necessidade de manutenção.

Antes de escolher por seminovo ou usado, veja se os custos com a manutenção cabem no seu bolso. Também é importante verificar a facilidade para encontrar peças de reposição para o modelo, que podem encarecer a conta.

Carros fora de linha podem não ter peças disponíveis no mercado, dificultando a eventuais reparos.

Agora que você já sabe a diferença entre usados e seminovos, vai ser mais fácil se decidir. Não é mesmo?

E se antes de realizar a troca, você deseja vender o seu carro, a Avalie Melhor pode te ajudar a definir o melhor preço para o seu veículo.

Em 1 hora e 30 minutos você recebe as melhores propostas e vende seu carro sem precisar sair de casa. Quer saber mais? Clique no botão abaixo e conheça mais sobre.

Verifique também

como-vender-seu-carro-sem-perder-dinheiro

Como vender seu carro sem perder dinheiro

Chegou a hora de vender seu carro usado e você quer deixar o veículo mais …